segunda-feira, 6 de junho de 2016

CONSÓRCIO DO ABC

 

 

Consórcio quer potencializar indústria de defesa no ABC

A escolha de São Bernardo como sede da primeira fábrica da sueca Saab no Brasil poderá alavancar a indústria de defesa do ABC. Para explorar as oportunidades do setor, a Agência de Desenvolvimento Econômico do ABC, ligada ao Consórcio Intermunicipal da região, está desenvolvendo estudo sobre políticas industriais, que poderão ser implementadas nos próximos anos, como forma de potencializar este mercado. A expectativa é que o documento seja concluído até o fim deste ano.
“Esse é um projeto de médio e longo prazo. Até o fim do ano as diretrizes vão estar prontas, com o relatório final e as tarefas de cada município e secretarias de Desenvolvimento Econômico. Esse documento vai nos dar elementos para traçar planos. O tempo de implementação, que partes do avião serão desenvolvidas na região e potencial de geração de emprego e renda”, afirmou o presidente do Consórcio e prefeito de Rio Grande da Serra, Luis Gabriel da Silveira, o Gabriel Maranhão (PSDB).
Atualmente, a região já conta com 28 empresas que fornecem para a cadeia de defesa, sendo 12 em São Bernardo, cinco em Diadema, cinco em Santo André; três em Mauá, duas em São Caetano e uma em Ribeirão Pires, conforme detalhou Giovanni Rocco, secretário Executivo da agência.
Transbordamento
Rocco destacou que o estudo também vai analisar formas de ampliar os índices de “transbordamento” tecnológico da indústria de defesa, ou seja, a capacidade de atingir outras cadeias produtivas. “Sinais desse estudo mostram que a África do Sul (que também produz aeronaves Saab) conseguiu usar apenas 20% do transbordamento. Queremos desenvolver ações para não cometer os mesmos erros”, disse.
Exemplo de transbordamento tecnológico promovido pela indústria de defesa, segundo o secretário executivo, é a telefonia móvel, que absorveu diversas funções do setor, como a tela touch (sensível ao toque), transferência de dados e o infravermelho. “Vamos trabalhar para atrair mais empresas e verificar, por exemplo, como uma indústria de ferramentaria poderia se beneficiar com essa transferência de tecnologia que transborda da indústria de defesa. É importante saber o que temos na região para saber o que precisa ser feito para capacitar as empresas”, destacou Rocco.
A construção da fábrica da Saab em São Bernardo foi anunciada no começo do ano passado, após a empresa sueca vencer uma licitação internacional para fornecimento de 36 aviões de combate às Forças Armadas Brasileiras (FAB), dentro do projeto denominado FX-2. O negócio foi fechado pelo valor de US$ 4,5 bilhões (cerca de R$ 10,6 bilhões), que deverão ser pagos até 2023. A previsão é que a FAB receba o primeiro caça sueco no final de 2018.
 
Editoria: Regional
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário